Mirim Brasil e Meu Recife entregam pedidos de crianças de Rosa Selvagem à prefeitura

0

A presidente do Mirim Brasil, Sylvia Siqueira Campos, e as representantes da rede Meu Recife, Isabel Carvalho e Camila Fernandes, entregaram à secretaria de Educação da Prefeitura do Recife, na segunda-feira (23), uma série de pedidos feitos por crianças da comunidade de Rosa Selvagem, na Várzea, zona oeste do Recife. 

A “Carta pública para melhoria na educação infantil em Rosa Selvagem” foi entregue ao secretário executivo Rogério Morais durante reunião que teve como um dos focos o compromisso com a primeira infância. 

Uma das demandas encaminhadas ao Executivo municipal foi a do pequeno Ryan, que pediu de presente de Dia das Crianças uma “escola boa”: “Prefeito [Geraldo Julio], tu pode trazer uma escola boa? Eu quero um parquinho nessa escola e que não tenha muito mato”.

E o desejo de uma escola melhor não é só dele. Durante atividade de escuta participativa realizada na comunidade no dia 7 deste mês, o Mirim Brasil e o Meu Recife conversaram com a criançada, que soltou o verbo sobre o que gostaria de ganhar de presente no dia 12 de outubro. 

A presidente do Mirim Brasil, Sylvia Siqueira Campos (ao centro) e as representantes da rede Meu Recife, Isabel Carvalho (à esq.) e Camila Fernandes (à dir.), se reuniram com o secretário executivo de Educação do Recife, Rogério Morais. Fotos: Secretaria de Educação da Prefeitura do Recife

“Em geral, na conversa com as crianças, elas disseram que gostam das suas escolas. Mas também elas têm pedidos simples: conserto das goteiras e infiltrações, instalação de mais ventiladores nas salas de aula, contratação de mais professores/as e uma merenda mais gostosa e nutritiva, com frutas e verduras! Também não ter salas lotadas”, diz trecho da carta.

“Sentimos muita falta da presença de Yasmim, Taylane, Vanessa e Ryan [crianças moradoras de Rosa Selvagem] na sala [durante reunião com o secretário executivo]. Eles saberiam falar dos seus desejos e sonhos muito melhor do que nós, do Meu Recife e do Mirim Brasil“, afirmou Isabel.

“O olhar sobre a escola precisa estar integrado com a mobilidade e a acessibilidade. Em Rosa Selvagem, uma criança pode andar 2 km para chegar até a escola, ou mais, além do risco de vida que corre pela inexistência de calçada segura. Por isso, nós apoiamos a comunidade na reivindicação de uma escola infantil municipal”, declarou Sylvia.

“Saímos de lá aguardando os encaminhamentos ao que reivindicamos para Rosa Selvagem, mas também com a certeza de que a caminhada é longa até que todas as nossas crianças sejam vistas como sujeitas de direito”, acrescentou Isabel.

No encontro, o Mirim Brasil defendeu também o compromisso com a primeira infância e a necessidade de ter um plano municipal para a primeira infância construído com a participação de mães, país, avós, cuidadores/as.

Leia a íntegra da carta:

CARTA ABERTA DA REDE MEU RECIFE E ONG MIRIM BRASIL AOS SENHORES PREFEITO GERALDO JÚLIO E SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO JORGE VIEIRA

Viemos, através desta, transmitir formalmente o maior desejo das crianças da comunidade de Rosa Selvagem, uma Zeis no Bairro da Várzea com aproximadamente 4 mil pessoas, das quais cerca de 800 estão entre 0 e 12 anos. É Recife, mas nem parece. Nessa área, de nome tão bonito, tem várias crianças lindas, cheias de energia e com um só pensamento neste dia 12 de outubro: uma escola com melhor estrutura e próxima de casa!

Enquanto vemos tantos pais e mães se preocuparem em encontrar um presente que vá fazer os olhos dos filhos e das filhas brilharem, seguindo uma lógica de consumo, as crianças de Rosa Selvagem, Ana, Beatriz, Ryan, Lucas e tantos outros querem escola de qualidade, na qual elas poderão aprender num espaço seguro, saudável, motivador e feliz! Realizamos uma escuta participativa neste último sábado, dia 7/10, para saber qual era a escola dos sonhos da comunidade. As crianças falaram por si mesmas. É só conferir no vídeo (link do vídeo).

Criança é gente no presente, e não uma frase de efeito para o futuro. Ela tem opiniões próprias, desejos e sonhos. Muitos desses sonhos são o desejo de dignidade humana, de acessar os direitos que estão sendo violados pelo Estado. Crianças são cidadãs em desenvolvimento, como diz o Estatuto da Criança e do Adolescente e a Convenção sobre os Direitos da Criança das Nações Unidas.

Em geral, na conversa com as crianças, elas disseram que gostam das suas escolas. Mas também elas têm pedidos simples: conserto das goteiras e infiltrações, instalação de mais ventiladores nas salas de aula, contratação de mais professores/as e uma merenda mais gostosa e nutritiva, com frutas e verduras! Também não ter salas lotadas. E algumas crianças precisam de uma atenção diferenciada, seja porque tem dificuldade de concentração por um problema familiar, hiperatividade, entre outras situações.

Não há melhor época para consertar goteiras que agora no verão. Esse é um investimento que garante qualidade de vida, pois as crianças podem vir a ficar doentes por conta da umidade excessiva, além da desconcentração do barulho do pinga-pinga. A situação das goteiras e infiltrações é séria! Uma das crianças nos contou que foi recomendada a não ir ao banheiro nos intervalos porque era inseguro descer a escada da escola que estava molhada!

O verão está chegando. Em outubro já começamos a sentir o calor da nossa terra.aqui para o final do ano a temperatura tende a aumentar. Imagine como é estudar morrendo de calor em uma sala cheia? Como cobrar concentração quando as crianças estão nessas condições?

Nosso propósito em Rosa Selvagem é ser um elo no sentido de fazer uma ponte entre a comunidade e quem realmente tornar realidade pode realizar esses sonhos tão possíveis.

Acreditamos que o Dia das Crianças é uma data simbolicamente muito importante. Ela nos lembra da nossa responsabilidade. De acordo com a nossa legislação vigente – Constituição Federal e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) – crianças e os adolescentes são “pessoas em condição peculiar de desenvolvimento” e devem ter prioridade absoluta nas políticas públicas. E agora devemos ter atenção redobrada com a primeira infância.

As crianças de Rosa Selvagem apontam a escola como o lugar mais importante após a sua casa. Ao mesmo tempo, elas se queixam muito da distância, já que as escolas públicas ficam em outra área. Na comunidade, não existe espaço de lazer e convivência comunitária. Além disso, são muitas ladeiras, escadarias, várias ruas sem calçada, o acesso para entrar e sair é dificultado pela escassez de transporte público. Tudo o que existe de equipamento e serviço público foi conquistado com muita luta das pessoas que lá moram, e continuam reivindicando.

A escola é a extensão direta do espaço da casa no processo de desenvolvimento das crianças. É o lugar onde elas aprendem como se socializar com as demais crianças e adultos, desenvolvendo suas habilidades motoras, cognitivas, emocionais. Uma cidade boa para a criança é boa para todas as pessoas.

Prefeito, dá esse presente para as crianças e famílias de Rosa Selvagem!

Assinam essa carta:

Rede Meu Recife

Mirim Brasil [Movimento Infantojuvenil de Reivindicação]

Share.

About Author

Foto de perfil de Fabi Maranhão

Jornalista-militante, feminista e vegana.

Leave A Reply

Pular para a barra de ferramentas